Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Um Minuto da Sua Atenção?



Hm. Ei Pai, será que poderia me mandar uma estrela cadente?
Eu havia acabado de desligar o motor. Saí vagarosamente do carro e me encostei em sua lateral, a cerveja ainda tentando resfriar minha garganta que queimava.
As estrelas me chamaram a atenção.
Comecei a conversar comigo mesmo, sobre todos aqueles assuntos infindáveis, tais como origem do universo, para onde vamos, de onde viemos.
Então lembrei de quantas vezes havia parado naquele mesmo lugar e olhado para os mesmos pontos luminosos no céu. Respirei fundo, e olhei para a esquerda. 
Lá estava eu e uma amiga, escolhendo nossa estrela. A caixa, um conjunto característico, estaria logo abaixo da que escolhemos. Imaginei se ela algum dia ainda olhava para o céu, e mais, se lembrava daquela noite há tantos anos atrás. Pisquei, e olhei para a direita.
Eu e um grande amigo tínhamos nosso caderno, onde anotávamos todas as coisas estranhas que apareciam no céu, tanto como estrelas cadentes e possíveis satélites. Todas as noites deitávamos na calçada dura, adjetivo que não fazia diferença para a grande amizade que tínhamos, nem para a curiosidade que olhar lá pra cima gerava em cada um de nós. Imaginei também se ele ainda tinha tempo de admirar as estrelas e lembrar de tudo aquilo, e mais, se sentia saudade, tanto quanto eu, dessas coisas que a gente nunca mais vai fazer e que damos tanto valor hoje.
Novamente olhei para o céu e pedi. Pedi por um risco no céu, um sinal de que Ele, diferente de todo mundo, ainda me olhava lá de cima. E mais. Perguntei qual era o sentido de tudo aquilo, qual era o sentido de eu, diferente dos demais, ainda estar ali olhando para o mesmo lugar, enquanto as minhas memórias ganhavam vida à minha volta, como se várias realidades passadas estivessem ocupando o mesmo espaço, no presente. Perguntei também o que eu deveria fazer da minha vida.
E no mesmo momento que perguntei isso, soube que, mesmo que ficasse ali até o fim dos dias, eu não descobriria assim, tão fácil.

Nenhum comentário: