Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A Mulher de Olhos Azuis


De canto de olho eu percebo a tela do meu celular ativar a cada deformação na pista. 
São 20:22.
21:23.
22:50.
23:59.
05:43.

A estrada me ataca de frente e some atrás de mim, e as vezes me pego prestando mais atenção no efeito espelho das curvas em meu retrovisor do que à minha frente.
Tem uma mensagem esperando para ser lida. Deveria ser tua, mas não é. 
Deus, eu ainda estou esperando aquela resposta.

Um dia acabei lendo, por aí, que devíamos nos arrepender mais daquilo que fazemos, do que deixamos de fazer. 
Mas e do que nos foge a alçada? Qual sentimento que deve haver nisso? Frustração?
O que quer que eu traga agora comigo no porta-malas, não vai fazer diferença. Porque eu estou indo embora de tudo, estou indo aonde sempre acreditei ser meu sonho, com o único intuito de ser mais solitário. Estou indo, PORQUE NUNCA CONSEGUI DIZER QUE TE AMO, OLHANDO NESSES OLHOS AZUIS. E mesmo agora, enquanto a banda que toca em meu rádio grita qualquer coisa com amor, eternidade e satisfação, palavras que sequer posso entender em um passado longínquo, você nunca vai saber de tudo isso, a não ser que algum dia leia tudo isso e entenda.

Bom, eu nunca acreditei em amor à segunda vista. Mas poderia você, por favor, tropeçar nisso e crer? A pequena garotinha dos olhos azuis e cabelos ao vento ainda está nos esperando.

Nenhum comentário: