Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Não enterre seus talentos!


"O que fizestes com os talentos que lhe confieis?"


Vejo muitas pessoas enterrarem seus talentos. Muitas fecham seus olhos para suas reais potencialidades e sequer percebem a preciosidade que existem dentro delas.

A verdade é que todos nós temos medo, todos nós nos desconhecemos por completo.

Temos medo de arriscar, pois o comodismo instalado em nossas almas é mais interessante. Temos medo de “mudar”, pois pau que nasce torto morre torto. Temos medo de falhar, pois somos constantemente cobrados a sermos "perfeitos" e a seguirmos os padrões impostos pelo sistema. Somos cobrados a sermos aquilo que não somos. Somos cobrados pelos outros a percorrer um caminho contrário à nossa Verdadeira Vontade. 

Mas o que é Verdadeira Vontade se estamos tão agarrados aos valores mundanos e a crítica ferrenha da opinião alheia? Tampamos nossos ouvidos e relegamos nossa voz interior. Passamos a sermos reflexos do que o outro diz sobre nós. Escondemos nossa criança interior, murchamos e por fim, enterramos nossos verdadeiros talentos. Tornamo-nos árvores que não produzem frutos, pois vale mais agradar o outro do que a si mesmo. Nossa alma enfraquece desconhecendo o verdadeiro propósito que a fez estar, hoje, aqui. Nos tornamos céticos a tudo e críticos assíduos da conduta moral. Montamos esquemas mirabolantes tentando encaixar as pessoas a esses padrões cientificamente comprovados, mas que não chegam a desvendar 1/3 da nossa verdadeira potencialidade, como seres humanos. Somos originalmente incríveis, cada um com suas potencialidades a serem desenvolvidas e sua própria individualidade cósmica, mas não acreditamos nisso, pois precisamos de imagens para espelhar o que não somos. Ninguém, diz: seja você mesmo! Todos falam: Seja como Jesus, seja como Krishna, seja como Buda, seja como Madre Teresa, mas ninguém diz: seja você mesmo! E o que é ser você mesmo? Apenas você é que saberá me dizer! Não deixe que os outros lhe digam o contrário e nem que suas feridas o tornem aquilo que você não é.

Muitos enterram seus talentos por medo. Mas o medo também nos traz a coragem! O medo pode nos impulsionar para que arrisquemos mais a corrermos atrás de nossos sonhos. O medo pode ser construtivamente bem empregado na realização de nossa Verdadeira Vontade ou Lenda Pessoal.  O medo pode fazer com que confrontemos as ilusões alimentadas pelo nosso ego, desconstruindo todas as fantasias que rodeiam nossa real essência. O medo nos traz a coragem, pois vale a pena morrer tentando realizar seus sonhos, do que morrer sem nunca ao menos ter tentado.

Assim, não teremos medo de falhar, pois saberemos que o erro é um gerador de aprendizados importantes para nossa evolução. Ouviremos mais a voz do nosso “eu interior”, respeitando o que o outro tem a nos dizer, mas que aquilo que o outro nos diz  possa antes passar por uma filtragem, separando tudo aquilo que é destrutivo e mantendo apenas o que é produtivo para nós!

Lembre-se o essencial é invisível aos olhos. 

Não enterre seus talentos, pois onde estiver seu tesouro, ai estará seu coração!





2 comentários:

Déborah disse...

Texto muito bonito e reflexivo.
Gostei bastante.

http://lisos-somos.blogspot.com.br/

Michele Nakashima disse...

Deborah! Muito obrigada pelo elogio! ^^