Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Dama da Noite


Naquela noite que confessei como estava me sentindo, senti um verdadeiro alívio. Apesar do descompasso causado pelo friozinho na barriga, era a primeira vez que não via exigências a serem feitas pelas partes comprometidas, mas liberdade para sentir o que se estava sentindo. Não era necessário que algo a mais fosse dito. Tentei pensar no significado de suas palavras e cheguei até interpretá-las erroneamente. Desculpe, se te assustei. Talvez esteja indo com sede demais. Devo aprender que tudo tem um tempo certo para florescer. Até mesmo os sentimentos precisam ser regados diariamente através de pequenos atos, palavras singelas, por um sorriso sincero ou um olhar acolhedor.

Estou em posto, em um campo de batalhas. Luto contra mim mesmo, para não ser obrigado a acreditar que tudo isso não passa de expectativas não preenchidas, que meu sentimento que cresce a cada dia, não passa de um fruto das minhas idealizações frustradas. Não! Estou lutando bravamente, pois acredito na pureza dos nossos sentimentos, ainda que o mundo queira corrompê-lo.

Disseram-me que eu, talvez, não te mereça. Quem sabe? Talvez eu realmente não te mereça aos olhos daqueles que concebem as pessoas como troféus. Devo guardar-lhe na estante, empoeirada, colecionando lembranças e afeições destruídas?  Tento ignorar os “conselhos” alheios. As vozes são muitas que quase não escuto a voz do meu coração... Ela fala tão baixinho, que às vezes chego a ignorá-la e isso só a frustra. Estou me abrindo aos poucos aos seus preciosos conselhos, não irei deixa-la ao relento. Quando penso em todo o “cuidado” que você tem comigo, reflito minhas atitudes e posteriormente me acalmo.




Você é como uma flor, a “flor da noite”, que demora tempos e tempos para desabrochar e mostrar sua beleza ao mundo que (infelizmente) dura apenas por alguns minutos. Tem que ser sábio para apreciar-la, pois é raro os momentos em que ela se abre. 

Minha dama da noite, estou aqui para ser transformado, mesmo que não venha a ter por mim sentimentos recíprocos... Estou com medo, não nego. 



Caminho em passos lentos, devagar, devagarinho, pois até mesmo o caminho que percorro, a natureza me ensina que tudo nasce, tudo cresce, tudo floresce, tudo se transforma e nada se perde, absolutamente nada...


2 comentários:

Luria Corrêa disse...

"Desculpe, se te assustei. Talvez esteja indo com sede demais. Devo aprender que tudo tem um tempo certo para florescer." me sinto assim com frequência ao me deparar com a sutileza e a gentileza de alguém que com afeto me cuida bem, e eu descarrego tudo. Mas isso abre os olhos, às vezes...e não é de todo ruim. Sorte a nossa, quem sabe.
Escreve bem, abraço.

Michele Nakashima disse...

Luria Corrêa! Fico muito feliz com seu comentário, muito obrigada! Estou aprendendo com a natureza que tudo tem seu tempo certo e até mesmo os sentimentos se desenvolve naturalmente, sem que precisemos forçar alguma coisa. É o famoso: deixe fluir! Mas eu, que sou impulsiva demais, é quase que uma tarefa difícil ahahaha mas a gente aprende, né...ou não rsrsrs

Muito obrigada, obrigada! Namastê