Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sereias

Possessão de espírito.

Perco minha sanidade toda vez que olho, mesmo que indiscretamente, para ela. Observando os traços, analisando as esperanças.
Tem gente que acredita em tanta coisa... Inclusive eu, encoberto de um excesso racional, cheio de teorias escritas pelos outros. Qual a diferença entre sentir e ter?

Todos os dias apaixonarmos diversas vezes. Seja por algo, ou por alguém.
Mas, quem entende sobre o amor, se cada um tem sua forma de amar?
Sou pego nessa rede como um peixe idiota, que nada num mar de águas negras. Não quero olhar para onde estou indo, não quero admitir essa fraqueza em minha existência, apenas sigo o som de Sereias me chamando, cantando sinfonicamente o que quero ouvir.

Tenho saudade de quando sentia saudade de mim mesmo. Hoje no meio dessa pressa toda já não sei direito quem eu sou, ou no que devo sentir saudade.

As pessoas ainda acreditam no amor universal. Diga-me, ser humano, como amar todos pelo que são se tudo que chamamos de amor é apenas egoísmo?
Não amamos o outro, mas sim uma imagem que criamos deles. Quando essa imagem não nos é mais interessante, então desfazemos dele, e dizemos da forma mais cruel que podemos que "o amor acabou", de que "você está diferente". Quando perdemos o interesse, quando as coisas mudam demais, abandonamos e deixamos tudo de lado. Estamos rodeados de coisas superficiais. Objetos superficiais. Sentimentos superficiais. Pessoas superficiais. Meu espirito está possuído. Cheio de coisas de uma só vez. Pode ser de amor. Pode ser de nada.

Nenhum comentário: