Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

sábado, 31 de agosto de 2013

Histórias Novas, Canções Originais, Monotonia


Estou em ruínas, mas veja bem e entenda
Os maiores patrimônios da humanidade já foram construções majestosas
E que hoje encontram-se disponíveis para visitação

"Veja o coliseu! Como era lindo! Mas usado com propósitos tão banais!"

Quer conhecer a bondade das pessoas? Basta conhecê-las.
Mas e sua própria bondade? 
Você algum dia já deu comida para alguém antes de encher seu estômago?
Meu Deus, hoje é domingo. Vá a missa, repare nas pessoas que lá estão e volte para casa comentar sobre elas em sua mesa do almoço, repetindo coisas, julgado presenças que, ao seu ver, não poderiam estar lá
Conte-me uma história nova, cante-me uma canção original.

Vamos gerar uma histeria em massa, desposar cargos autoritários, virar seus lençóis do avesso
Veja seu coração! Uma bomba, em todos os sentidos possíveis, ora prestes a explodir, ora prestes a contornar marcos de um caminho. Desculpe-se por usá-lo para propósitos tão banais, mais carnívoros do que os animais que encontras em um zoológico.

Ninguém vai se preocupar com sua dor, antes que se preocupes com a dor alheia. Engula com dificuldade sua comida e ofereça um pouco aos necessitados
Algum dia depois do fim desse caminho maluco, encontraremos uma boa cama e um bom travesseiro.

Uma monotonia escultural..

domingo, 25 de agosto de 2013

Lobotomia


Quando a chuva veio limpar o retrovisor, foi que eu consegui enxergar
Aquele ponto no meio do espelho não era um ser qualquer, vestido de preto
Era minha própria imagem do avesso
Como se eu vivesse do outro lado do meu reflexo
E o mundo em que vivo fosse somente produto de uma operação de 20 minutos

O inferno passa aqui do lado todos os dias,
Ele remexe minhas gavetas, a procura de algo que desconheço.
Sobe em minha cama enquanto durmo, vagarosamente, e tenho medo de abrir meus olhos
Pois sei que ele estará ali, logo acima do meu rosto
Olhando-me com olhos frios, mas vermelhos como sangue, esperando o momento em que minha curiosidade vencerá meu medo de encará-lo de frente

Já é tarde, mas é cedo
Estou indo dormir no mesmo momento em que ouço outras pessoas tomando seu desjejum
Então percebo que tudo é questão de um prisma, questão de ponto de vista
Como se a própria vida fosse um emaranhado de significados, que só variam conforme os lugares em que repouso meu olhar
Mas e não é mesmo?

Eu me viro para o céu e procuro aquele que chamamos de Criador;
Por que será? São tantas perguntas que faço,
Que no final das contas tudo que me compadece são raios de uma lua que já se põe, dando lugar a algum astro rei por trás de nuvens brancas

Deito-me sobre lençóis, meu peito arde, e não sei se é de sono ou de algum sentimento de que ninguém sabe ao certo o significado, o porém e o motivo
Apago a luz do quarto, e já sei que preciso me conformar com o escuro
A lobotomia já não traz mais seu efeito.


sábado, 24 de agosto de 2013

Pequenas coisas

Dias turbulentos, guerras interiores, o que te faz parar e sentir o mundo a sua volta? Eu paro e penso, sera que eu sei sentir? tudo em volta fala, sera que eu sei ouvir? eu vejo, sem olhar, eu olho sem enxergar, você sabe entender? o vento dança uma linda musica a seu redor, você sabe dançar? você pode escutar como é lindo o canto da natureza? a chuva cai gota a gota e envolve tudo que é vivo, paisagem gélida das cidades, a vida se esconde mais ela esta ali, complexa, sim simples natureza complexa, e la no céu milhões de estrelas, focos de luz em meio a mais bela e profunda escuridão, como você lida com o mundo? como você lida com os sentimentos? como você lida com você? sabe responder, criatura tão perfeita entre imperfeições, você sabe quem é você? sabe quem gostaria de ser? você se permite saber? teias sombrias de quem quer ditar regras, onde esta escrito que ser o espelho dos outros é o certo? espontaneidade é tudo que eu quero, poder voar sem sair do lugar, porque isso sou eu, um emaranhado complexo de coisas simples, sem conceito definido, cada dia um ser diferente, mas com uma só essência, a do meu próprio eu.


Deixo hoje com vocês uma das minhas musicas favoritas numa versão maravilhosa :3






terça-feira, 20 de agosto de 2013

Eu por Elvis


Maybe I didn't treat you
Quite as good as I should have

É claro que tratei, tão bem quanto gostava de ti.
Maybe I didn't love you
Quite as often as I could have

Talvez não tenha amado tanto assim, não tanto quanto deveria, muito menos tanto quanto eu dizia que amava.
Little things I should have said and done
I just never took the time

Coisas pequenas, coisas que eu devia ter demonstrado.  Eu não tive a sabedoria de pôr as palavras certas na ordem correta, meu amor.
You were always on my mind
You were always on my mind

Você sempre está.
Maybe I didn't hold you
All those lonely, lonely times

Mas eu segurei seu rosto, pra onde você foi?
And I guess I never told you
I'm so happy that you're mine
If I made you feel second best
Girl, I'm so sorry I was blind


You were always on my mind
You were always on my mind

Isso me incomoda: até quando vai estar?
Carry, tell me that your sweet love hasn't died
Esse amor, que nunca saiu do papel.
Give me, give me one more chance
To keep you satisfied, satisfied

Não me dê nenhuma chance, porque não serei eu quem vai te fazer feliz algum dia.
Little things I should have said and done
I just never took the time

Pequenas coisas foram palavras, tanto ditas quanto escritas. Foram crises de ciúmes e de lágrimas. Foram dúvidas, foram pedidos de conselhos de amigos. Foram canções escritas e cantadas. Foi talvez, até mesmo, tempo perdido.
You were always on my mind
You are always on my mind
You are always on my mind

Do primeiro abrir de olhos pela manhã, até o último momento de que me lembro à noite.

 
Rei.

domingo, 18 de agosto de 2013

Marés

Não há nada de especial nas pessoas.
Nada mesmo.

Iludimos com as mais diferentes ideias, criadas por nós mesmos para satisfazer algo sem nome.
Vivemos uma utopia de não querer ser binários o tempo todo. Parece que existe uma lei subjetiva, acima de mim, que controla minha liberdade...

Viver é como esperar uma maré perfeita para surfar.
O que você faz com seu tempo? Vida e morte não parece ser uma dualidade...
É como esperar as nuvens descerem para um dia poder pegá-las. Esperar tudo se resolver, ou que os problemas sumam. O que eu faço com meu tempo? Às vezes nada.
Ás vezes espero ele passar.

Somos todos heróis de nos mesmos, ao mesmo tempo em que somos os grandes vilões, responsáveis pelas escolhas ruins, pelo mau tempo, e pelas pessoas ao nosso redor.
Como disse o Pequeno Príncipe: "Somos responsáveis pelo que cativamos."

Não é um problema não querer buscar nada de novo, mudar, crescer, transformar, buscar uma nova formula para a vida.
Isso não é um sinal de fracasso, mas de transformação.
Somos navegantes perdidos nas águas dos outros. Não temos o controle de todo o mar, mas podemos direcionar, ao menos, para onde nosso barco vai navegar.
Somos caóticos, instáveis, e repetitivos; mas somos fortes
como uma maré.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Sanidade e Insônia



Lembro do dia que tive que olhar duas vezes, para ver que você era real
Lembro do dia que achei que uma tempestade não poderia mudar minha vida
E tive que procurar abrigo pra não morrer de frio.

Você sentou-se ao meu lado e eu perguntei seu nome,
De que músicas gostava e suas opiniões sobre o país,
E o jeito que me sorria, só fazia o leão acordar dentro de mim.

Eu estou perdendo a sanidade, estou ficando louco
Voltei a beber, estou confuso, insônio, culpado

Existe algo em seu modo de falar e andar,
Como se ali houvesse a perfeita ligação entre o mal e o bem,
Como nunca imaginei e sempre desejei, e isso só me dá vontade de gritar

Eu estou perdendo o sono, estou ficando louco
Estou confuso, humano, culpado

Têm estado difícil dormir muito nestes últimos dias
Trabalhar e estudar parecem horas perdidas
E o jeito que você me olha no fundo da alma só me fazem ter certeza
Que tudo tem um motivo, tem uma consequência e uma lição

Eu estou confuso, estou atônito, culpado
Estou perdendo a sanidade, estou ficando louco
Por você.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Aprendi Que


Hoje estava olhando o céu, quase que como milagre, pois há tempos não fazia isso.
E, não sei se pelo momento ou pelo estado de relaxamento, comecei a pensar em algumas coisas que me incomodavam, coisas que batiam como martelo em minha consciência, dia após dia. Quando estamos fazendo algo de que gostamos, como ouvir música, relaxar em uma rede, tomar banho, ou até mesmo, como eu, olhar as estrelas, conseguimos pensar melhor, bolar ideias e chegar a conclusões muito mais facilmente.
Percebi que não posso viver a minha vida confiando cegamente nas pessoas, hora ou outra elas vão me decepcionar, de alguma forma. Nós somos somente seres humanos, guiados por uma inteligência que tenta controlar instintos. Instintos fazem parte daquilo que nos torna naturais, seres. E, tal como a própria natureza, por mais rústicos que sejam, não erram. A inteligência, sim, é a arma que magoa, é a capacidade de racionar que nos torna imperfeitos, por enquanto. Aprendi também que, mesmo assim, não posso sempre me relacionar com um pé atrás, porque isso me deixaria louco.
Aprendi que posso deixar aqueles que me decepcionaram por perto, mesmo que toda nossa amizade não tenha mais nenhum sentido, ou, se tenha, que sejam pelas partes "alegres". As vezes penso em como Eu tenho sido como Amigo. E as vezes desculpo as faltas dos outros.
E, no fim das contas, mas não menos importante, aprendi que a vida é muito mais do que um simples "Yin e Yang", um filme de luta entre o bem e o mal ou dois lados da mesma moeda. Ela é tudo isso, misturado, e se você não tiver os olhos preparados, você continuará vendo somente uma colher.

When I find myself in times of trouble.. =)