Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

domingo, 7 de julho de 2013

Mundo das idéias equivocadas

A felicidade é uma ilusão tão verdadeira como a própria vida. Não é um prêmio que se conquista com uma vida árdua e complicada.
Não são os momentos mais simples que vemos a tal felicidade, nem muito menos os mais complexos.
Pode ser que felicidade não exista, ou não faça sentido, como toda a vida em si.
O que é ser feliz? Quem sabe, felicidade seja o caminho que percorremos até o fim.

Se entendermos ela como algo que devemos "perceber", o que acontece quando não somos bons o bastante para notar quando ela estiver aqui?
Tudo pode ser uma questão relativista, já que nossas interpretações dependem de como enxergamos para a situação.
Olhe para suas lágrimas, suas dores; Elas são suas, ou de todo mundo?

Num turbilhão de emoções a gente se perde em situações que nunca deparamos. Um mundo de idéias repleto de juízos equivocados. Esperamos muito para sermos felizes, como nos contos que dizem ser de fadas "e viveram felizes para sempre". Nos ensinam a acreditar que as coisas que mais aguardamos estão no final da vida, no final da estrada, que vai chegar e completar tudo o que falta.
As pessoas mentem.
Não existe esta plenitude toda. Não existem verdades absolutas que não possam ser contestadas, assim como não existe alma gêmeas, amor universal, e até mesmo a felicidade.
O que existe é nossa interpretação dos fenômenos.



2 comentários:

Fernando Silva disse...

Concordo. A felicidade está na forma como interpretamos o mundo. Ela está dentro de nós...

Carlos Filho disse...

haha obrigado pela visita Fernando! Também estou acompanhando seu blog.
Sim sim, um dos maiores equívocos que cometemos é achar que a felicidade é algo pronto ou pré moldado.
As pessoas não querem acreditar que a vida em si não tem sentido nenhum, somos nós que devemos dar sentindo para os fenômenos.

Mas a felicidade também não está dentro de nós. Aí já é achar que somos responsáveis por "tê-la" ou não, sendo que isso depende muito mais de um conjunto do que de nós mesmo....