Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

terça-feira, 30 de abril de 2013

E isso faz toda a diferença...

Aquele momento bom, mas que não dura mais que uma música.
Quando dizem por aí que todo amor é narcísico, é por que nós nos amamos muito antes de qualquer outra idealização.

- Eu te amo!
- Eu também - me amo -

Projetamos nossos desejos nos outros, e talvez seja por isto que sofremos tanto, e fazemos tantos outros sofrerem.
Em meu coração existe mais espaço para sentimentos, mas às vezes a gente cansa de dizer sempre a mesma coisa, sem perceber que martelamos num prego torto.
Por isto acabei percebendo que certas expressões podem ser tolas demais. Eu já não quero mais dizer esta frase milenar, pronta, e de expressão e sentimentos egoístas. Eu te amo é caro demais, é hipócrita. A gente sempre se contradiz em algum momento.
Por isto reflito e prefiro me readaptar em algo menos clichê, e que seja mais sincero do que este conjunto de palavras vazias, que sempre perde o sentido com o passar do tempo, que sempre cobra mais do que estamos dispostos a pagar.
Eu te amo? Não. O que existe é amor em mim por ti. 

E isso faz toda a diferença...


Um comentário:

Fernando Silva disse...

Desenvolver a capacidade de amar é o grande desafio da humanidade. Não o amor narcisístico, sensualista ou egoísta. Mas o amor desinteressado, e por toda a humanidade. A questão é que amar a si mesmo é o primeiro passo para amar os outros.