Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

domingo, 17 de março de 2013

Última Noite

Cantar, 
Eu posso ouví-los cantar,
Mesmo com todo o barulho da tempestade que passa. 
Esta é a minha última noite na Terra. Eu junto todas as cartas que escrevi pra você e as jogo no fogo, que crepita cada vez mais. Não consigo me arrepender de todas as palavras que disse a você e de todas que escrevi pensando em você. Eu só sinto uma certa tristeza por não ter tido a oportunidade de dizer mais e mais coisas a você, seja por medo de saber as respostas ou pelas vezes que você não quis me ouvir.
Enquanto a chuva cai eu sei que os meus minutos estão chegando ao fim. Só consigo pensar em como gostaria de passá-los perto de você, que agora está muito longe de mim, tão longe que não posso gritar por você, tão longe que você não se importará com o que vai acontecer comigo.
Quebram-se pernas, rostos, corações. O que não se quebra é a hipocrisia, de viver sob suas ideias fúteis, de viver sob seus ideais voláteis, variáveis, injustos. Como disse, quebram-se corações com uma facilidade tão grande quanto a de respirar. Por favor, não diga que não, não diga que isso é normal ou que estou estereotipando um mundo perdido. O meu defeito é mesmo tornar pessoas responsáveis por coisas importantes de mais para mim, informais de mais para elas.
Sonhar,
Eu só consigo sonhar,
Com coisas que não vão acontecer, com atos que nunca vou receber de pessoas que não se importam, com o mundo, com meu pensamento, com seus atos. Elas não pensam no amanhã, só no hoje. Não que isso fosse errado, mas as pessoas entenderam errado o seu ideal.

Nós podemos mudar o mundo, mas não as pessoas. Podemos?


Enquanto meu coração bate, ele é seu. Mas só enquanto bater.

Nenhum comentário: