Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

domingo, 10 de março de 2013

Escrever para o Futuro


Olhava-a de longe, nunca esquecendo de desviar os olhos quando sua face virava em sua direção. O que parecia impossível as vezes, ele tinha consciência de que não deveria demonstrar interesse, mas sua mente rodopiava sem direção por segundos.
Por mais que fosse fantástica sua visão, não era com isso que ele se importava. Não que não fosse importante, mas sua cabeça sempre estava cheia de problemas, preocupações, sem falar nas doses diárias de decepção.
Haviam muitas coisas naquele dia.
A bebida descia pela garganta calmamente, como se não quisesse fazer o efeito esperado, talvez o seu espírito estivesse cheio de mais para se preocupar em prestar atenção em coisas pequenas como essa. A música atravessava seus ouvidos e não faziam sentido algum, era um mar de palavras sem existência, sem significado. O som de sua voz parecia abafado, até o desafinado típico parecia maior.
E mesmo assim ele teve um tempo para olhar naquele ponto fixo. Não que quisesse chegar mais perto, ou que pudesse.

O tempo passou. Folheando algumas folhas em seu caderno um dia ele encontrou algo que havia escrito há tempos atrás:
"Espero que tudo mude, que estas palavras que hoje significam ansiedade por um futuro melhor, signifiquem vitória algum dia."
Terminando de lê-las, ele pegou um lápis e escreveu abaixo: 
"Você nem imagina o quanto."
Agora com um sorriso no rosto ele não mais espera as inspirações virem até ele, ele mesmo sai em busca de ideias.
E aquela mulher, que antes não significava algo além de um rosto bonito, é hoje o motivo de ele escrever. Nesta cadeira denominada "inspiração" outras pessoas já sentaram, algumas pelo seu tempo certo, algumas por tempo de mais, outras sem merecimento algum. Nós sempre pensamos que a bola da vez é a que vai marcar o gol.
Que ele não perca as esperanças. Pois se isso acontecer, em quem vou depositar todas as minhas fichas?
Ele sabe disso, ele luta por isso. E luta por essa mulher. Suas lutas não estão intrísecamente conectadas com sua esperança, ele sabe que isso não seria sábio. Mas seus fracassos abalam seu ego, muito mais forte do que acontece com as outras pessoas.
Talvez ele devesse escrever novamente, escrever algo que só fizesse sentido daqui alguns anos. Algo como: 
"Eu venci."

Nenhum comentário: