Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Não me aperte, não me deseje: me deixe em paz


Não podemos esperar ninguém para sempre.
Manipular os sentimentos e semear esperanças é sempre algo perigoso. Por que gostamos de nós machucarmos tanto?
Não mandamos em nossos sentimentos, e nem sabemos quem merece nosso coração, mas uma coisa é certa; ninguém é de ninguém.

Por favor, não me dê mais motivos, não me dê mais ar, não me dê mais palavras. Todo amor é hipócrita, e esta minha generalização pode levantar um mundo contra mim.

Não tente me curar, não tente me entender, não me espere.
Apenas aceite que eu não te amo mais.



4 comentários:

Sergio Chapieski disse...

Boa tarde,

Será que é possível deixar de amar alguém? Talvez isso não seja amor.

Parabéns cara, você escreve muito bem.

Carlos Filho disse...

Boa tarde cara. Obrigado pelo elogio.

hehe, comentário forte o seu. Então, eu acho que não sei a resposta para sua pergunta apesar de já ter algumas palavras na cabeça.

Amor... O que é isso? Puxa uma cadeira aí, traga um refri e vamos conversar.
:)

Paloma Raphaela disse...

Caro amigo, quando o coração é de pedra geralmente a alma é sedenta demais. O amor não foi feito pra ser descrito (não conseguimos expressar com palavras, não existe um Aurélio pra descrever a dimensão, profundidade dos sentimentos), ele foi feito pra ser vivido. Quando se ama a vida e sua simplicidade, percebemos que a vida sem amor é vazia, sem forma, sem cor, sem sabor. Uma vida sem amor é patética, ainda mais vulnerável ao mau humor, aos hábitos repetitivos, ainda mais limitada. Veja bem, não estou te julgando (até por que não sei o que você passou esses anos todos, não sei quais foram seus motivos pra ser tão radical assim quanto ao amor e acreditar tão solidamente que ele é hipócrita. Muita coisa pra você é perigosa, você vê riscos em tudo e em todos, mas não percebe o perigo iminente; tenha cuidado com suas palavras, você disse que todo amor é hipócrita, da mesma forma que generalizou o amor você também o fez como uma declaração de que todos aqueles que te disseram eu te amo são hipócritas (parece até proposital querer ferir os que te amam com a finalidade de fazer com que eles te esqueçam ou deixem de te amar). Sinceramente, eu quero saber se são apenas contos ou se você conta para alguém em especial esses contos de sua vida.

Carlos Filho disse...

hehe claro que o Amor foi feito para ser descrito, nós que tememos descreve-lo!
A vida sem amor é vazia, claro, mas não estou falando em viver sem amor.
O amor é plural, em forma, e significados. O amor também pode ser um ideal, uma manifestação cultural, um aprendizado e por aí vai...
Nós todos, sem querer puxar a humanidade em meu exemplo, mas todos nós amamos sem saber que amamos.
Amamos a vida, a natureza, as pessoas, os amigos, o ódio, um outro alguém.
O que não sabemos, muitas vezes, é de como amar.