Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A Mesma História


Saio de casa a noite e não tenho hora pra voltar.
Não ouso nem olhar para trás.
E sei que minha casa eu não verei novamente.
Saio de casa e meu único companheiro é o violão,
Que nunca se cansa de ouvir as mesmas músicas.
Saio de casa e nem sei que horas são.
E em minha mente resta a dúvida se já é a hora certa, ou, se já é tarde de mais.
O vento frio bate em meu rosto, mas a sensação é tão estranha...
O vento gelado que outrora me machucava, hoje me acalenta,
Pois não há nada mais congelado que eu mesmo.
O que pode nos tornar frios, senão o calor que esperamos das outras pessoas?

Metade do meu coração tem o teu nome,
Porque mesmo que você não merecesse estar ali, e, confesso, até mesmo queria poder te tirar de dentro de mim, você insiste em estar, em povoar os meus sonhos.
Mas te levo junto comigo, e cada gota de orvalho que cai no chão ao meu redor, me faz lembrar dos teus olhos tristes me mostrando um futuro bom.
E o céu é testemunha desse caminho errôneo,
Desse amor platônico,
Do violão incansável,
E de um rapaz que anda só, exceto pelos momentos em que Jesus está ao lado dele.

Eu vou andar. Cada passo que dou é mais um passo longe de tudo.

3 comentários:

Carlos Filho disse...

Palavras profundas como a própria verdade que as mesmas representam.
Nada mais certo do que dizer que apenas você sabe o que você anda passando...
A única coisa que posso dizer é o quanto foi um bonito e emocionante post.

Daniel Pissetti Machado disse...

Belíssimas palavras meu Amigo. Parecem um Epílogo...

Felipe disse...

@Carlos
Obrigado meu amigo.
Acho que tenho dado importância de mais ao que têm acontecido comigo, por isso tanta frustração e decepção. Mas é muito fácil dizer para esperar o mínimo de outrém...

@Daniel
Obrigado meu caro, acho que você acertou na mosca..
Tenho dito que cada fase da minha vida é um livro inteiro, ou um capítulo, o que melhor se encaixar no contexto.
Sobre o que acontece agora, são tão poucas páginas que não posso considerar um livro todo, mas sim só um capítulo. Estas palavras podem ser as últimas do capítulo, já estou escrevendo outro, mas este vai ficar estagnado, eu acho que ainda existem coisas a serem escritas nele.
Um capítulo, com nome de mulher.
O que mais esperar?