Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

P.S: Ou raciocinar com as duas?

Às vezes acho que somos sensatos por de menos.
Deixamos nos levar sempre pela racionalidade das coisas e esquecemos um pouco de nossas emoções.
Nossos sentimentos sempre são inferiores ao nosso cérebro.

Ei, você é humano como Eu? Pergunto porque não parece. Sua apatia não me deixa chegar mais perto para ter certeza. 
Certezas...Ah, mas é claro! Isto também é característica de nós, humanos. Precisamos estar certos o tempo todo. Você também está cheio de tudo isto?

Aí vem aquela mesma ideia que estamos cansados de ouvir por aí...

Abandone as emoções! Eles obscurecem as verdades, elas enganam o homem, ela te impede de pensar!

Bobagem? Talvez.
De certo modo uma é mais primitiva que a outra, mas e daí? Até que ponto abandonar o homem das cavernas para virar o homem da tecnologia é a melhor solução? Se realmente soubéssemos ser racionais as coisas não estariam como estão agora. Muitas vezes não podemos mostrar o que sentimos por conta de um ideal. Isto que turva a mente, isto que nos impedem de crescer! Existe algo de muito pobre do ar...

Queria ver as coisas diferentes, ao menos uma vez. Caminhamos por uma via tão confusa que já não sei se ainda continuo humano. Para falar a verdade, já não sei mais qual é seu verdadeiro conceito.
Consegue ver? Ainda continuo buscando a mesma razão, mesmo quando eu digo que podemos conhecer bastante com nossas emoções. Isto parece uma maldição...
No fim das contas parece que nossos juízos estão todos alterados, ou no mínimo não condizem mais com nossa realidade. Tem algo de muito podre no ar, e não é apenas uma fruta madura demais.

Sonhei com as coisas fugindo de mim, como se não quisessem mais ficar aqui. Não podemos ficar na imparcialidade o tempo todo e então decidir parar e refletir: O que é melhor, pular na piscina fria das emoções ou se cobrir sobre o véu apático das certezas?


5 comentários:

Felipe disse...

Por que é que você lê os meus pensamentos as vezes?
Nós conhecemos o verdadeiro amigo quando ele nos da um conselho sem ao menos saber o que se passa com a nossa vida. Valeu cara.

Carlos Filho disse...

Você é virtuoso. Eu que tenho o que te agradecer.
:)

Afonso Henrique disse...

Todos os textos do blog são ótimos. Todos eles sempre abordam temas sobre a condição humana, mas este em especial,aborda ainda mais. Este me chamou atenção pois comecei um pequeno debate sobre o tema. E então pensei qual destes de fato devemos seguir. A emoção? Sentimento primitivo, que muda toda a forma de ver o mundo em termos de certo e errado. Ou a razão? A lógica crítica que segue padrões impostos atravéz dos valores a que nós somos submetidos a muito tempo?

Sou um visitante novo. Os textos são muito interessantes e alguns enigmáticos.

Felipe disse...

Seja bem vindo Afonso,
a linha tênue que separa as duas escolhas não existe a não ser na nossa mente, que gosta de complicar bem as coisas. Você deve pesar as consequências e fazer você mesmo a escolha. Clichê, não?
Um abraço e volte sempre

Carlos Filho disse...

Obrigado pelas palavras Afonso, espero te ver aqui mais vezes. Debater sobre a razão e a emoção não é algo muito sábio, admito. Mas as vezes se mostra fundamental. O bom deste conflito é que podemos aprender; Aprender consigo mesmo...