Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

sábado, 18 de agosto de 2012

Flores de Desejo


Não tente me inibir. Eu sou um eterno apaixonado, apaixonado pela chuva, pela música, pelo sexo frágil..
Aliás, a rotulação "sexo frágil" como um clichê, uma lenda urbana.

Mas como é possível te ver e não querer te beijar?
É tão difícil quanto ver a chuva e não querer estar lá, no meio do jardim, de braços abertos, saudando-a como ela merece.
Como ela merece...

O desespero me bate a porta, e me grita nos ouvidos, o que é que estou fazendo da minha vida? O que estou imaginando, agindo, planejando?
Muitos verbos de ação, ou poucos ?!

A cada beijo que eu não lhe dou, são abraços que receberei depois, eu sei.
Como a chuva que eu só vejo acariciar o telhado de minha casa.
Eu já quis estar em seus braços, eu quero.

Não eu não quero.

Mas já pensei em estar, ou melhor
Eu sei que se eu estivesse não ficaria só.

Você é aquela flor do meu jardim, que da minha janela vejo banhar-se, vejo esbaldar-se com cada gota de chuva que cai, cheia de leveza e fragilidade.
Eu posso muito bem estar longe, flor, mas seria mentir para mim mesmo dizer que você não é linda.


Nenhum comentário: