Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Escadas para o Céu



Como é fácil encontrar as escadas que levam ao céu.

Mas os cordeiros estão ali, guardando seus primeiros degraus..

Não. Não há como usarem peles de cordeiro. Eles são piores que lobos, são raposas, são tigres, são leões que devoram a minha capacidade de raciocinar, de pensar, de falar, de sentir. Eles não fazem nem a mínima questão de me abraçar primeiro, de me mostrar alguma falsidade, esta que me atiram irrefreadamente, sem pudor, torpor, furor. E eu fico me imaginando fazendo o mesmo, aliás já estou, estas pessoas afloram dentro de mim como os seus piores sentimentos, me tornando um deles, um falso, um carnívoro, um canibal. Elas me dizem, me sussuram nos ouvidos, espere a morte chegar!
Espere!
Ela mesma está vindo com sua foice afiada me levar para um lugar qualquer.
Mas antes disso eles me fazem sofrer. Os mais sentimentais em nosso meio perdem a calma fácil, e são levados rapidamente, sem dó nem flores. Eu penso em ser igual, agir igual, furá-los com o mesmo veneno do qual já transbordo, mas caio em choro, em pensamentos e preocupações, dentre elas de que me tornando um deles posso não voltar a ser o mesmo.

Eu vivo numa hipérbole. Eu acabei de conhecer esta nova realidade e já cansei dela, eu quero união, entendimento, eu quero compaixão, ainda existem sentimentos conectados à estas palavras?

Eu quero amor. Eu digo te amo, mas eu não sinto. Eu choraria por isso, eu lutaria por isso, ou eu só procuraria outra?

Perseverar? Não, não, não, não, nem você, nem você, nem você e muito menos você.
Acho que só eu. Ou nem eu?

Nenhum comentário: