Neurônio da Semana

Se temos a possibilidade de tornar as pessoas mais felizes e serenas, devemos fazê-lo sempre. - Hermann Messe

quinta-feira, 1 de março de 2012

Marionetes do Destino



O que nos trouxe até aqui?
Pode ter sido o medo, ou a coragem?
Palavras, a vida só é mais um jogo de palavras,
Um em que você as vezes acerta, as vezes erra, as vezes leva um pouco de sorte mas quase sempre quebra a cara.
Hoje percebo o porquê de meu pai sempre ter dito que ficaria mais feliz, se voltasse a época de criança...
O fardo é mais leve, temos pessoas que nos amam de verdade como ombros amigos,
Não essa falsidade que nos envolve como uma nuvem de fumaça.
?Será que te ama de verdade? Será que te respeita de verdade?
?Será que merece todo o amor e atenção que você dá? Será que você merece o que ganha?
Quem sou eu para julgar, se ainda não o fui.
O que nos trouxe até aqui, senão a própria vida?
Eu, você? Meros fantoches.

Um comentário:

Carlos Filho disse...

Belas palavras Felipe, gosto do que você escreve.

Eu acredito que a vida seja o produto de nossas escolhas.
E, sempre lembrar dos "tempos de criança" é algo muito belo, mas em partes. O que tem de tão ruim na vida atual para termos que sempre lembrar das boas lembranças da infância? Aqui acho que merece, ao menos, um pouco de reflexão.

E por fim, acho curioso o amor... Temos que definir ele antes de procurar quem realmente nós ama.
Apenas uma olhada sistemática já basta para vermos quem realmente merece nossa atenção, nosso amor e nossa amizade, seja qual for a definição de cada um.
Somos meros fantoches sim!
Mas... fantoches de nossas próprias escolhas.